TOMAR – Poluição no Nabão. Anabela Freitas lança repto aos tomarenses: «Agora...

TOMAR – Poluição no Nabão. Anabela Freitas lança repto aos tomarenses: «Agora é a hora certa para exercer pressão!»

A Câmara de Tomar quer que a despoluição da bacia hidrogáfica do Nabão seja incluída no Plano de Recuperação e Resiliência, uma oportunidade de obter o desejado financiamento – na ordem dos 22 milhões de euros – para resolver parte significativa dos inúmeros episódios de poluição que têm afectado aquele rio. Na referida proposta, a autarquia recorda que «há décadas que o Nabão tem sido alvo de episódios de poluição, estando identificadas quatro possíveis origens: Um conjunto de empresas cerca de 11 identificadas pela APA em toda a bacia do Rio Nabão (suiniculturas, lagares de azeite e empresas ligadas ao ramo alimentar), a ETAR de Seiça construída em 2003 e gerida até janeiro de 2020 pelo município de Ourém, a não existência de sistema separativos que leva a as águas pluviais sejam encaminhadas para o sistema público de saneamento o que provoca aumento de caudal de entrada na ETAR superior ao caudal para a qual a mesma está dimensionada e, finalmente, a própria morfologia do terreno com muitos algares». Até 1 de Março está, assim, em curso a discussão pública do Plano de Recuperação e Resiliência. A esse propósito, Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, deixou um apelo a todos os tomarenses no sentido de que «agora é a hora certa e o local para que possamos actuar sobre a poluição», reforçou. Ou seja, os interessados podem ajudar a que a proposta de despoluição seja incluída no Plano. Para isso, é necessário o registo aqui. Esta «é uma forma de fazer pressão», disse Anabela Freitas: