SARDOAL – Ciclo de Artes Participativas dá a conhecer as cinco propostas...

SARDOAL – Ciclo de Artes Participativas dá a conhecer as cinco propostas artísticas criadas no âmbito do projeto Dentes de Leão

O Ciclo de Artes Participativas do projeto Dentes de Leão reúne cinco propostas artísticas para o público descobrir nos fins de semana de 22 e 23 de outubro, em Évora, e 29 e 30 de outubro, no Sardoal. O projeto arrancou em janeiro com o intuito de aprofundar práticas artísticas participativas nas localidades de Évora, Sardoal e Lisboa. Convocou artistas e jovens, envolveu uma equipa multifacetada e deu origem a uma comunidade exploratória que se tem dedicado a questionar e experimentar modelos de criação e colaboração. Nove meses passados de encontros regulares da comunidade DENTES DE LEÃO apresentam-se agora cinco projetos no Ciclo de Artes Participativas. Semanalmente, jovens do Sardoal, Évora e Lisboa juntaram-se em Encontros, presenciais e digitais, com o acompanhamento de mediadoras culturais. Por seu lado, ao longo de oito Residências, dez artistas colaboraram e desenvolveram propostas em articulação com os jovens e as comunidades locais. Este percurso, que se iniciou em janeiro, além do desenvolvimento de projetos artísticos, originou uma constante reflexão sobre modelos de participação e de criação artística e a sua relação com territórios de baixa densidade, permitindo mergulhar nas estórias, saberes e vivências e imaginários daqueles lugares. Agora, o Ciclo de Artes Participativas traz a oportunidade de o público contribuir para esta reflexão, convidando à experiência e ao diálogo sobre o que é uma comunidade e como se forma. O Ciclo de Artes Participativas dá a conhecer cinco projetos artísticos que convocam o público a participar. Em Oferta, esculturas permanentes instigam a comunhão entre os participantes, sem a necessidade do seu encontro. Tornam-se, assim, lugares de práticas sociais onde se doa, encontra ou colhe, sem necessidade de um propósito predefinido. Com em espera, o público é convidado a construir a sua própria paisagem de Évora, Lisboa e Sardoal, através dos sons captados, selecionados e editados com a colaboração dos jovens. É um projeto que, valorizando a audição dos espaços, nos impele a ampliar a nossa visão deles. Dentes de Leitão satiriza a forma como as artes são vistas e enquadradas fora do seus habituais centros de produção, bem como questiona muitas das práticas e metodologias envolvidas na criação artística. Pareidolia reúne uma comunidade temporária em torno de um baralho de cartas de tecido e uma performance. Propõe um jogo de leitura criativa de imagens através da palavra e do movimento, recorrendo à partilha da intuição, referências, experiências e conhecimentos individuais das pessoas que, juntas, leem e interpretam. Linha de Terra constrói-se a partir de fragmentos dos encontros da comunidade Dentes de Leão e propõe-se como espaço para ser, estar e germinar ideias em relação com o meio e com os outros. DENTES DE LEÃO é um projeto no âmbito das artes participativas que investe na população jovem de Sardoal, Évora e Lisboa, e em jovens artistas dos distritos de Santarém e de Évora e da Islândia. Promove a articulação dos recursos culturais, patrimoniais e humanos destes territórios, através de processos criativos colaborativos, formativos e reflexivos, tendo em vista a sua valorização e sustentabilidade. Trata-se de um projeto concebido pela Materiais Diversos (Lisboa), a Pó de Vir a Ser (Évora) e a Culturgest (Lisboa), em colaboração com a Academy of the Senses (Reykjavik), o Município de Sardoal, o Município de Évora, a OsloMet (Oslo), o Instituto de História da Arte e o Instituto de Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a Universidade de Évora e a Assimagra