SANTARÉM – Tributo a Salgueiro Maia assinala os 26 anos da morte...

SANTARÉM – Tributo a Salgueiro Maia assinala os 26 anos da morte do Capitão

O Tributo a Salgueiro Maia, por ocasião do 26º aniversário da sua morte, teve lugar esta terça-feira, dia 3, pelas 11 horas no Jardim dos Cravos em Santarém. Esta cerimónia, integrada nas Comemorações do 25 de abril, contou com a participação de Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém (CMS), Joaquim Neto, Presidente da Assembleia Municipal de Santarém, Inês Barroso, Jorge Rodrigues, Ricardo Gonçalves Rato e Sofia Martinho, Vereadores da CMS, Carlos Marçal, Presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Aprígio Ramalho, Vice-presidente da Associação 25 de Abril, João Luiz Madeira Lopes, Presidente da Comissão das Comemorações do 25 de abril, Natércia Maia, Filipe Maia, Daniela Maia (mulher, filho e neta de Salgueiro Maia, respetivamente), Sofia Sócrates, aluna da Escola Secundária Sá da Bandeira, para além das dezenas de pessoas que se associaram ao evento. As honras militares estiveram a cargo dos Clarins da Repartição de Bandas e Fanfarras do Exército, acompanhados por uma Seção da Brigada Mecanizada de Santa Margarida.

Ricardo Gonçalves, evocou Capitão Salgueiro Maia para de “um herói dos tempos modernos, um homem que mesmo perante grandes dificuldades, nunca perdeu a capacidade de acreditar e de sonhar”. O Presidente da CMS lembrou a madrugada de 25 de abril para falar da grandeza de Salgueiro Maia, “foi um dos mais distintos Capitães de Abril, membro do Movimento das Forças Armadas, liderou a coluna militar que saindo de Santarém na madrugada de 25 de Abril de 1974, marchou sobre Lisboa, garantindo o triunfo da Revolução”.

Ricardo Gonçalves acrescentou que “na pureza e força dos seus 29 anos, saindo com enorme coragem de Santarém, foi protagonista da decisiva vitória dos militares revoltosos, tornando-se no símbolo maior da revolução de abril 74”. Por essa razão, o Autarca considera que “todos os portugueses devem exaltar o exemplo de Salgueiro Maia, mas também se curvar perante a sua determinação e coragem, pois jamais vacilou na luta constante por um país melhor para todos”.

Como em 2024, Portugal celebra os 50 anos da Revolução dos Cravos, Santarém quer “assinalar essa data com especial relevância, envolvendo toda a sociedade civil, num momento que fique na memória de todos como um marco do património político e cultural português”. Deste modo, Ricardo Gonçalves anunciou que escreveu a “sua Excelência, o Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, dizendo que Santarém quer ser a cidade sede das comemorações nacionais dos 50 anos do 25 de Abril em 2024”.

A intervenção de Daniela Maia, neta de Salgueiro Maia, foi reservada à leitura de uma carta escrita pela sua mãe, Cataria Maia. Nesse texto, a filha de Salgueiro Maia relembra os momentos da infância na companhia do pai, para falar das saudades que tem do Capitão de abril, que faleceu precocemente a 3 de abril de 1992. Catarina Maia lembra que foi “o dia em que a nossa família ficou incompleta”, nessa altura tinha apenas seis anos de idade, “nunca mais nada foi igual. Faltou a tua voz grossa a cantar e faltaram as tuas gargalhadas. Faltaste tu”, lamentou.

Sofia Sócrates falou da importância da Democracia, uma conquista dos Capitães de abril, para mostrar que, tendo nascido no ano 2000, não se imagina a viver sem as Liberdades de que dispomos no nosso sistema democrático atual. A homenagem terminou com a tradicional deposição de flores, junto à estátua de Salgueiro Maia, pelo Município de Santarém, pela Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril, pela Brigada Mecanizada de Santa Margarida, e pelos Amigos de Salgueiro Maia. www.cm-santarem.pt