MÉDIO TEJO – Câmaras de Alcanena e Torres Novas apostam no projeto...

MÉDIO TEJO – Câmaras de Alcanena e Torres Novas apostam no projeto ‘ouro líquido’ e valorizam o azeite produzido na região

A Câmara de Torres Novas aprovou dois protocolos de colaboração com o Município de Alcanena com vista à implementação do projeto “Ouro Líquido” e à criação de um complexo sustentável integrado de instalações industriais e logísticas. «O primeiro protocolo, referente ao projeto designado “Ouro Líquido”, tem como principal objetivo a promoção e valorização a nível nacional e internacional do azeite produzido na região, através do desenvolvimento de iniciativas conjuntas, nomeadamente eventos e projetos. Com este protocolo pretende-se ainda organizar, investigar e desenvolver todos os processos associados à produção do azeite, produzido através da azeitona galega, predominante na região», justifica a autarquia torrejana em nota de esclarecimento. De referir que os concelhos de Torres Novas e de Alcanena têm mais de 20% do seu território composto por olival, o que evidencia a importância desta atividade, e que a variedade de azeitona galega, predominante no território em árvores com várias dezenas de anos, produz um azeite com elevado valor acrescentado e com potencial no mercado nacional e internacional.

«O segundo protocolo entre os dois municípios, referente ao projeto de criação de um complexo sustentável integrado de instalações industriais e/ou logísticas, tem como objetivo a criação de infraestruturas e demais condições para potenciar a atração e instalação de novos projetos empresariais no território, num terreno contíguo ao nó da A1 com a A23. Esta medida pretende acelerar as dinâmicas de criação ou relocalização de empresas, prospeção de novos mercados e vocação para a internacionalização, bem como a captação de investimento e criação de emprego qualificado. Com este protocolo caberá ainda, aos municípios de Torres Novas e Alcanena, promover a instalação de empresas com as condições infraestruturais necessárias à mesma; desenvolver ações para atração de novos investidores, em particular investimento externo; elaborar propostas de cooperação para o desenvolvimento de iniciativas de dinamização da atividade do território à escala local, nacional ou internacional, e coordenar/participar no desenvolvimento de iniciativas conjuntas, nomeadamente eventos e projetos», acrescenta o mesmo texto.