ABRANTES – Câmara avança para a reconversão do antigo mercado municipal em...

ABRANTES – Câmara avança para a reconversão do antigo mercado municipal em multiusos

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou, por maioria*, na reunião de 27 de novembro, o lançamento de um concurso público internacional de conceção para seleção de uma proposta para a elaboração do projeto de “Reconversão do Antigo Mercado Municipal de Abrantes em Multiusos”, com preço base fixado em 135.000,00 € acrescido do IVA. Todo o processo será acompanhado tecnicamente pela Ordem dos Arquitetos – Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo (OA-SRLVT). As melhores propostas apresentadas terão prémios associados: O primeiro no valor de 10 mil euros, o segundo no valor de cinco mil e o terceiro no valor de três mil euros. Serão ainda atribuídas menções honrosas, de natureza não pecuniária, aos autores dos restantes trabalhos que se distingam pela sua singularidade.

Estrategicamente, o Município pretende devolver à cidade e à comunidade o espaço do antigo mercado, mantendo a sua traça original, dotando-o de um programa funcional que permita diferentes valências e contribua para a Regeneração Urbana do local, criação de novas dinâmicas e valências e atração de novos públicos ao Centro Histórico da cidade de Abrantes. Pretende-se também assegurar a requalificação da área envolvente, criando uma área de estacionamento coberto integrado e assegurar a acessibilidade pedonal, criando um percurso pedonal acessível de ligação entre o Parque de estacionamento do Vale da Fontinha e o Centro da Cidade, dando continuidade ao percurso já existente entre o Largo 1.º de Maio e a Rua Nossa Senhora da Conceição e, entre esta e o futuro Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes (MIAA).

As propostas a apresentar terão de seguir as linhas definidas pelo Município de forma a potenciar as diversas funções pretendidas para o edifício, designadamente: Espaço para realização de eventos, como a Feira de Doçaria, Feiras de Artesanato, e outras de natureza semelhante e de promoção das tradições e cultura da região; Espaço de atividades económicas da região a elas associadas; Organização de eventos empresariais, desportivos, associativos, entre outros; Organização de atividades ou eventos destinados a públicos mais jovens, designadamente de natureza cultural (expositivos, musicais, worshops artísticos), entre outros e organização de eventos e/ou atividades dinamizadores de interações multigeracionais, para além da criação de um espaço vocacionado para a projeção de cinema comercial.

Importa sublinhar que a intervenção preconizada pelo Município pressupõe uma alteração à estratégia definida no Plano de Urbanização de Abrantes (PUA), com a sua preservação parcial, designadamente as suas duas fachadas principais, mantendo-se, contudo, os objetivos de requalificação da área, designadamente fácil circulação automóvel com velocidade reduzida e forte qualificação do espaço pedonal. “Abrantes precisa de olhar em frente, para o futuro. Precisamos de olhar para o antigo mercado com uma nova visão, para aquilo que nos faz falta, para uma nova dinâmica que contribua para a afirmação geográfica da cidade de Abrantes e que funcione como fator de atração de grandes eventos.”, vincou o Presidente da Câmara. Manuel Jorge Valamatos garantiu tratar-se de um projeto “sustentável e equilibrado em termos de investimento”.

*A favor votaram todos os eleitos pelo PS, bem como o eleito pelo PSD. O eleito pelo BE votou contra.