VILA DE REI – Praia Fluvial do Bostelim recebe ‘Planta Party’: por...

VILA DE REI – Praia Fluvial do Bostelim recebe ‘Planta Party’: por cada bebida consumida, uma árvore é plantada

A Praia Fluvial do Bostelim, em Vila de Rei, recebe no dia 23 de Julho a segunda edição da “Planta Party” no Fôlego – ciclo de festas com música onde por cada bebida consumida no bar, uma árvore é plantada numa área ardida do concelho. O primeiro evento terá como convidado musical a DJ Susana Pereira, aka “A minha vida dava uma banda sonora”, que animará a tarde com sonoridades quentes e mexidas. Na passagem pela praia Fluvial da Aldeia Ruiva, em Proença-a-Nova, no mês passado, a iniciativa contabilizou um total de 560 árvores, que serão plantadas na época baixa, numa região ardida do concelho. Entre Junho de 2022 e Março de 2023, o Fôlego promoverá uma Planta Party em cada município do seu território – Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei – e a plantação das árvores será realizada após a festa, na época da plantação (Inverno), pela equipa e voluntários locais mobilizados pelo projeto, numa colaboração estreita com o Município. Planta Party é um evento-assinatura da associação cultural Safari @safari.producoes que visa converter a energia do público e a força das artes em ganhos concretos para o ambiente. Em 2020, o projeto garantiu a plantação de 1.000 árvores no Parque Natural Sintra-Cascais como resultado de três festas (Janeiro, Fevereiro e Março), numa parceria com a Câmara Municipal de Cascais. Neste ciclo do Fôlego, as festas Planta Party saem pela primeira vez de ao pé do mar e reinventam-se nas praias fluviais, em tardes que prometem música e banhos de sol, a reverter em favor do clima e da paisagem.

MAIS SOBRE O FÔLEGO – O FÔLEGO – programa cultural movido pelo combate às alterações climáticas em Mação, Sertã, Oleiros, Proença-a-Nova e Vila de Rei – avança no Centro de Portugal. O nome “FÔLEGO” surge da associação do território ao fogo – mas também ao ar, necessário à combustão e à vida – e o programa convida à imersão no património natural por via das artes, apelando à mobilização local, nacional e internacional pela mitigação da crise climática. O FÔLEGO atuará no território entre 2021 e o verão de 2023. Selecionado para financiamento no quadro EEA Grants, Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, o projeto é promovido pela Academia de Produtores Culturais, em parceria com Mapa das Ideias, H2Dance e Heidi Ruustgard (Noruega), Universidade da Islândia, Associação Pinhal Maior e os cinco municípios – Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã, Vila-de-Rei – atuando num esforço coordenado entre dezenas de instituições locais, nacionais e internacionais, de caráter governamental e não-governamental.