TORRES NOVAS – Piscinas municipais encerradas de setembro a dezembro para obras...

TORRES NOVAS – Piscinas municipais encerradas de setembro a dezembro para obras de eficiência energética

Na sequência da empreitada para obras de eficiência energética, as Piscinas Municipais Fernando Cunha estarão encerradas de setembro a dezembro de 2022 para execução dos trabalhos que visam a redução do consumo de energia do edifício, a diminuição das emissões de CO2 associadas, a redução dos custos de exploração da infraestrutura, a melhoria das condições ambientais de temperatura e de humidade e a promoção de boas práticas energético-ambientais. Nesse sentido, durante os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro não será possível a utilização das piscinas para atividades aquáticas, nomeadamente aulas de natação. Relativamente às aulas de estúdio, prevê-se que apenas não se realizem de 5 de setembro (data prevista para o início da intervenção) e 3 de outubro. No que se refere às mensalidades, todos os valores pagos relativos à mensalidade de outubro transitarão para o mês de reinício do funcionamento das piscinas. A validade das taxas de inscrição será prolongada pelo período equivalente à duração do encerramento das piscinas municipais. Os utentes que não pretenderem aguardar pela reabertura das piscinas municipais, poderão solicitar a respetiva devolução dos valores já pagos, dirigindo-se para o efeito à receção das piscinas ou enviando email a esse propósito para desporto@cm-torresnovas.pt A empreitada foi adjudicada à empresa SGCOIN, SA, pelo valor de 340 000 euros, acrescido de IVA, e prazo de execução de 140 dias. Os trabalhos a executar são: revisão dos equipamentos de renovação de ar de motores e bombas; instalação de coletores solares e todos os acessórios; instalação de sistema solar térmico, cobertura de plano de água e sistema de gestão de energia; substituição dos UTD existentes por unidades novas com tecnologia avançada e elevados índices de eficiência energética (Eurovent); instalação de ventiloconvectores e adaptação do sistema de controlo da unidade de climatização (UTA) dos balneários, para otimização da qualidade do ar com poupança de energia; instalação de uma caldeira de condensação a gás natural e adaptação de toda a rede de hidráulica; aumento da eficiência de bobagens de sistema de tratamento de água; substituição de desumidificadores, condutas e ligações.