TORRES NOVAS – “Anais Torrejanos (1850-1910)”, de António Mário Lopes dos Santos,...

TORRES NOVAS – “Anais Torrejanos (1850-1910)”, de António Mário Lopes dos Santos, apresentado a 14 de Abril

«“Anais do Município de Torres Novas (1850-1910)”, da autoria de António Mário Lopes dos Santos, é a maior recolha de referências e apontamentos históricos jamais efetuada para um período, não excessivamente longo mas historicamente tão significativo, do passado torrejano, concretamente de um território que englobava ainda as freguesias que em 1914 integraram o concelho de Alcanena em 1914 (Alcanena, Bugalhos, Monsanto, Minde) e parte do território onde, um pouco mais tarde, se formou a freguesia e depois concelho do Entroncamento» – pode ler-se na nota à edição desta publicação, editada pelo município de Torres Novas. O livro vai ter a sessão de apresentação no próximo dia 14 de Abril, sábado, pelas 16 horas, no auditório municipal (edifício da Biblioteca Gustavo Pinto Lopes), e contará com a presença do presidente da Câmara.

Nestes “Anais”, obra com quase 600 páginas, reúnem-se milhares e milhares de pequenas informações, relativas às aldeias e freguesias e que, por junto, ilustram aspetos desconhecidos do seu passado: as pequenas obras e melhorias, os anseios antigos, os nomes dos professores, dos párocos ou dos autarcas, a criação de escolas, elementos sobre a economia local e muitos outros factos históricos que não constam em fontes documentais das freguesias, bem como às grandes questões que, ontem como hoje, faziam mover a política local: os orçamentos municipais, as incontáveis representações ao Rei ou ao Governo para providenciar melhoramentos ou apoios, as grandes e pequenas obras, as respostas às calamidades como as recorrentes epidemias, a questão dos cemitérios, as reformas administrativas do próprio concelho, discutidas com tantas semelhanças com aquilo que veio a acontecer em 2012, os preços do que se vendia e comia, as feiras, as novidades que chegavam à vila, a assistência social e o ensino, a implantação, com detalhes deliciosos, da “Rata-Cega”, as sagas da abertura da Praça Nova ou dos novos Paços do Concelho, enfim, um panorama de situações que, muitas delas, estão na origem do que é hoje Torres Novas e o seu concelho. “Anais Torrejanos 1850-1910” é a quinta obra do autor publicada pelo município de Torres Novas, depois de “Torres Novas nos finais do séc. XIX – subsídios históricos”, “Torres Novas na Primeira República” (duas edições), “O Município de Torres Novas entre a vitória do Liberalismo e a Regeneração” e “O convento do Espírito Santo de Torres Novas (1536-1799)”.