TOMAR – Tesouro Templário finalmente localizado na Quinta da Moita Longa?

TOMAR – Tesouro Templário finalmente localizado na Quinta da Moita Longa?

O livro “Quinto Império – testemunhos de uma história verídica”, da autoria de António Botto Quintans, vai ser apresentado este sábado, dia 26 de setembro, às 16h30, no Biblioteca Municipal de Tomar, contando com a presença do autor e do Coronel Américo José Henriques, como principais oradores. Acabado de dar à estampa pela Chiado Editores, o livro “Quinto Império – testemunhos de uma história verídica”, este livro resume as investigações de alguns anos do seu autor sobre os vestígios templários na região e na quinta que, segundo a tradição, poderá esconder o grande Tesouro dos Templários, herdado pela Ordem de Cristo.

A quinta, onde também Camões se terá inspirado para escrever a Ilha dos Amores, torna-se o centro das atenções deste trabalho que “encontra marcas inéditas da presença templária em toda a zona envolvente, inclusive um campo de sepultura e registos escritos que sugerem que algo de muito importante foi escondido nesta zona durante o reinado de D. Dinis”. Ilustrado por muitas imagens que ilustram o que o autor afirma a cada passo apresenta um conjunto de testemunhos físicos e historiográficos surpreendentes num crescendo que prende o leitor do princípio ao fim. “Não há subterfúgios nem ideais subconscientes. Tudo é límpido como as águas que correm na Fonte Divina da Quinta da Moita Longa” como sublinha António Botto Quintans.

A Chiado Editores tem à venda o livro “Quinto Império – testemunhos de uma história verídica” desde o passado mês de Julho nas lojas das redes FNAC, Bertrand, Wook, para além de um conjunto de duas dezenas de outras livrarias independentes. Lançada na Lourinhã, o concelho onde se situa a Quinta da Moita Longa, a obra será objeto de diversas apresentações em Lisboa, Porto, Tomar e Ericeira, entre outros locais. O autor – António Luís Botto e Sousa Quintans nasceu em Lisboa a 25 de Julho de 1959. Frequentou Gestão de Empresas na Universidade Livre de Lisboa e desde 1985 que se dedica à Quinta da Moita Longa, na Lourinhã. Colaborou em diversos jornais e revistas e em 2014 publicou “Contributos para a História da Aguardente Vínica Lourinhã D.O.C.”