TOMAR – Órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia já tomaram posse...

TOMAR – Órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia já tomaram posse para o novo quadriénio (c/vídeo)

Os recém-eleitos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Tomar tomaram posse em sessão que decorreu no salão nobre daquela instituição nabantina e que foi presidida pelo Bispo de Santarém, José Traquina. Este ato solene mereceu a presença de diversas individualidades do concelho, a exemplo da presidente da Câmara, Anabela Freitas, assim como de Augusto Barros, presidente da Junta Urbana, sem esquecer os diretores de todos os estabelecimentos de ensino de Tomar, Polícia de Segurança Pública, Guarda Nacional Republicana e membros da Igreja, em particular o padre Rui Tereso, Vigário do território nabantino. Foi mesmo o Bispo de Santarém que iniciou a sessão, não deixando de destacar o trabalho que tem sido realizado pela Santa Casa da Misericórdia de Tomar, num percurso em que – sublinhou – tem havido registo para o contributo de «gente de grande bondade. Seguiu-se o Juramento dos novos órgãos sociais e respetivos Irmãos eleitos para o próximo quadriénio, ou seja até 2026, ocasião em que, um a um, tomaram posse sob olhar atento de António Madureira, presidente da Assembleia-Geral. Nota de destaque para as palavras de António Alexandre que, depois de assumir formalmente este novo mandato enquanto Provedor, se dirigiu aos presentes e disse cumprir estas funções com total empenhamento em nome daqueles que mais necessitam. Nota, nesta sessão, para a homenagem a Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias, um papel que mereceu os mais rasgados elogios do provedor António Alexandre. Manuel Lemos é, agora, Irmão honorário da Santa Casa da Misericórdia de Tomar, um estatuto que fez questão de agradecer e de honrar até final dos seus dias, disse, emocionado, na altura da distinção. Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, recuou ao primeiro mandato de António Alexandre enquanto provedor para destacar o trabalho realizado, em especial na fase de pandemia e na resposta à crise dos refugiados da guerra da Ucrânia. A autarca disse que a Santa Casa «nunca respondeu que não». Assista à reportagem em vídeo editada pela nossa redação.