TOMAR – Lar Nossa Senhora da Graça assinalou 25 anos de existência...

TOMAR – Lar Nossa Senhora da Graça assinalou 25 anos de existência (c/vídeo)

O Lar Nossa Senhora da Graça, da Santa Casa da Misericórdia de Tomar, assinalou, nesta segunda-feira, 25 anos de existência. Foi ocasião para reunir todos aqueles que fazem parte desta estrutura de apoio social nabantina, que recebe 80 utentes na sua valência de Lar, para além das 63 pessoas que recorrem ao Apoio Domiciliário e de 25 ao Centro de Dia. O dia de aniversário ficou marcado pela realização de uma Eucaristia de Ação de Graças, presidida pelo Bispo de Santarém, D. José Traquina, assim como pela homenagem a 13 funcionários que cumprem 25 anos de serviço. Ou seja, estão ligados à abertura do Lar. António Alexandre, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Tomar, começou o período de intervenções, reforçando o empenho de todos os funcionários do Lar, classificando o trabalho desenvolvido como «excelente». Manuel Caldas de Almeida, vice-presidente da União das Misericórdias Portuguesas, disse ser importante manter a certeza de que as entidades que representa fazem valer os valores da Igreja, elogiando, também, todos os que trabalham no Lar. Hugo Costa, presidente da Assembleia de Tomar e também ele membro da Santa Casa da Misericórdia nabantina, destacou o trabalho notável dos funcionários das IPPS’s. Hugo Cristóvão, vice-presidente da Câmara de Tomar, não teve dúvidas em referir o papel da Santa Casa nas suas múltiplas valências, reforçando que a longevidade da instituição fala por si. Renato Bento, diretor da Segurança Distrital de Santarém, começou por dizer que as misericórdias são a expressão máxima de valores e de uma história que referiu como extraordinária. Maia Frazão, do secretariado regional de Santarém da União das Misericórdias, não fugiu ao alinhamento definido, ou seja, direcionou as primeiras palavras ao trabalho de entrega dos funcionários que foram homenageados. José Traquina, Bispo de Santarém, fechou o período de intervenções, deixando claro que, na Europa, foi em Portugal onde morreram menos pessoas no âmbito da pandemia em curso, isto tendo em consideração os utentes de lares. Assista à reportagem em vídeo editada pela nossa redação.