TOMAR – Exclusivo Hertz. PSP chamada ao pavilhão em dia de votação....

TOMAR – Exclusivo Hertz. PSP chamada ao pavilhão em dia de votação. Augusto Barros acusa elementos do PSD de tentarem influenciar cidadãos

Exclusivo Hertz. A Polícia de Segurança Pública foi chamada ao pavilhão municipal de Tomar, neste Domingo, por ocasião da votação para as eleições Autárquicas que ali estava a decorrer. A indicação foi confirmada à nossa redacção por Augusto Barros, presidente da Junta Urbana, que garantiu ter havido alguns elementos – que ali estavam como delegados de mesa – que apelaram ao voto junto de cidadãos que se preparavam para exercer o respectivo direito. E Augusto Barros aponta o dedo a membros do Partido Social-Democrata. Importa, então, perceber o alcance das duas palavras, em entrevista exclusiva à Hertz:

A Hertz contactou João Tenreiro, presidente da Concelhia de Tomar do Partido Social-Democrata, que se mostrou «surpreendido» com as palavras de Augusto Barros, remetendo uma reacção para depois, numa posição, disse-nos, tomada em consenso com Tiago Carrão, candidato à Junta Urbana, com quem a Hertz também tentou falar para obter uma reacção.

Recorde-se que é expressamente proibida a prática de «acções ou desenvolver actividades de propaganda eleitoral por qualquer meio na véspera e no dia da eleição», segundo determina o artigo 177.º, n.º 1, da Lei Eleitoral dos Órgãos das Autarquias Locais). A Lei é mais clara quando refere que «é, ainda, proibida qualquer propaganda nos edifícios das assembleias de voto e até à distância de 50 metros, incluindo-se também a exibição de símbolos, siglas, sinais, distintivos ou autocolantes de quaisquer listas. Os casos que configurem uma situação de crime eleitoral são participados pela CNE ao Ministério Público.