TOMAR – Em Lisboa, há quem goste da “província” com mais vegetação...

TOMAR – Em Lisboa, há quem goste da “província” com mais vegetação do que empresas… mas Câmara combate essa “má-vontade” e avança para investimentos do Bricomarché, Aldi e Burger King

A Câmara de Tomar deu um passo decisivo para garantir os investimentos do Bricomarché, dos supermercados Aldi e da cadeia norte-americana Burger King. Tal como a Hertz adiantou em tempo oportuno, estas empresas estão para se fixar na cidade, precisamente na avenida Maria de Lourdes Mello e Castro – avenida do hospital – e ainda na avenida dr. Aurélio Ribeiro, no caso da loja de “fast food”. Para que tal seja uma realidade, há a necessidade de alterar o Plano de Pormenor das Avessadas que previa, entre outras valências, a construção de um centro de saúde, de duas escolas e ainda de focos de habitação para dez mil pessoas, tudo na citada artéria que homenageia Maria de Lourdes Mello e Castro. Mas perante a escassa viabilidade de alguns destes cenários, a Câmara decidiu avançar para uma avenida com comércio e serviços e, consequentemente, com mais postos de trabalho. Só que em Lisboa, nomeadamente na Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional, têm sido levantados vários obstáculos, justificados com o facto de alguns técnicos “gostarem da província assim”, ou seja, com mais vegetação do que empresas. Perante esta “má-vontade”, conforme catalogaram Anabela Freitas e Hugo Cristóvão, presidente e vereador na autarquia nabantina, a Câmara aprovou, então, por unanimidade, a suspensão do Plano de Pormenor das Avessadas, deixando caminho aberto à chegada desses investimentos. Tem, agora, a palavra a Assembleia Municipal: