TOMAR – Complexo da Levada recebe “maratona” de 24 horas a idealizar...

TOMAR – Complexo da Levada recebe “maratona” de 24 horas a idealizar e a realizar soluções tecnológicas

Acontece nos próximos dias 2 e 3 de junho, no Complexo da Levada, em Tomar, a segunda edição do CityHack, uma maratona tecnológica de 24 horas, promovido pelo Instituto Politécnico de Tomar e pelo Município de Tomar. Esta iniciativa destina-se a estudantes de ensino superior arrojados, que não tenham medo de um desafio, em que o objetivo é responder a problemas reais e encontrar soluções tecnológicas para a melhoria da qualidade de vida nas cidades, em áreas como: Saúde&Bem-Estar; Turismo&Cultura. Mobilidade, Eficiência Energética, Economia Local, Associativismo e Ação Social. Podem candidatar-se equipas de 3 a 5 elementos, que sejam alunos de Universidades e Institutos Politécnicos nacionais, em que pelo menos dois sejam oriundos de áreas tecnológicas. A equipa poderá incluir um elemento que não frequente o ensino superior. As soluções apresentadas pelas equipas que serão sempre apoiadas por mentores, profissionais especialistas nas respetivas temáticas, serão avaliadas por um júri que irá analisar a integridade, eficiência, eficácia e a qualidade do projeto. As equipas vencedoras irão receber prémios monetários no valor de 3500EUR bem como diversos prémios oferecidos por alguns dos patrocinadores desta edição. Para Eugénio Pina de Almeida, presidente do Instituto Politécnico de Tomar, “é com enorme satisfação que nos associamos à promoção da segunda edição desta maratona tecnológica, um evento que consegue juntar em Tomar estudantes de ensino superior, oriundos das mais variadas zonas do país tendo como foco a procura de soluções para problemas concretos, sendo de realçar as inúmeras empresas e entidades que se quiseram associar a este evento, reflexo do patamar de qualidade em que foi colocado”. A edição deste ano conta com o apoio de empresas e entidades como a Critical Software, Noesis, Outsystems, SoftInsa, Santander Totta, Compta, Extreme, Maxicópia, Tagus Valley, Bons Sons, Next Solution e Tuk Lovers. Anabela Freitas, presidente da Câmara Municipal de Tomar, considera por seu lado que “depois do êxito da edição inaugural, esta será mais uma oportunidade para que a cidade templária demonstre que continua aberta ao futuro e preparada para articular da melhor maneira o seu legado patrimonial com os novos desafios do mundo em que vivemos, revelando igualmente a importância da relação cada vez mais profunda entre o Município e o Instituto Politécnico”. No plano da responsabilidade social, a comissão organizadora deste Hackaton, alunos do curso de mestrado em Engenharia Informática – Internet das Coisas do IPT, associou-se à Cáritas de Tomar, para uma campanha de recolha de alimentos, em que todos os participantes do City Hack serão convidados a participar.