TOMAR – Carteiristas andaram longe da Festa dos Tabuleiros mas houve registo...

TOMAR – Carteiristas andaram longe da Festa dos Tabuleiros mas houve registo para furtos no interior de viaturas

Durante a recente Festa dos Tabuleiros, nomeadamente no grande Cortejo deste domingo, foi visível a significativa presença de elementos afectos à Polícia de Segurança Pública. Perante a visita de centenas de milhares de pessoas a Tomar, o reforço de meios era condição essencial para garantir que tudo corria pelo melhor, não só ao nível da prevenção da criminalidade como também na circulação automóvel e de peões, sem esquecer outros aspectos relacionados com o evento propriamente dito. O balanço do trabalho da PSP é extremamente positivo ainda que haja registo para algumas ocorrências, nomeadamente ao nível do furto de interior de viaturas. Em jeito de análise ao que foi feito, o Comissário Jorge Soares, responsável máximo pela Divisão Policial de Tomar, sublinhou que os objectivos principais foram cumpridos: «Tínhamos alguns objectivos cruciais para o sucesso do evento naquilo que diz respeito ao trabalho da Polícia de Segurança Pública. Um desses objectivos passava por termos livres os percursos dos diversos cortejos que se fizeram, com principal incidência e preocupação para o dia do Cortejo. Com a colaboração dos visitantes, dos tomarenses, enfim, de todas as entidades envolvidas, tivemos sempre a facilidade de realizar os Cortejos. Outro grande objectivo passava por permitir que a comunidade participasse na Festa e, para isso, desenvolvemos uma série de conceitos para que as pessoas se aproximassem mais. Isso deu em excelentes resultados».

Quanto á criminalidade propriamente dita, registo, então, para o furto de alguns bens e documentos que ficaram dentro de viaturas. A ocasião faz o ladrão, diz o povo: «Temos algumas questões desagradáveis para quem foi vítima delas, nomeadamente furtos do interior de viaturas. Alguns objectivos estavam à vista pois foram deixados dentro dos automóveis, sendo que os amigos do alheio chegaram ao interior das viaturas e retiraram esses bens e ainda alguns documentos. Em termos de criminalidade violenta e grave não nos chegou qualquer situação. Houve, sim, algumas pessoas que se perderam dos respectivos grupos, mas tudo se resolveu. Pode haver uma ou outra situação que pode surgir uma vez que as pessoas ainda estão a tempo de apresentar algum tipo de denúncia».