TOMAR – CaminHaTA para prevenir a doença

TOMAR – CaminHaTA para prevenir a doença

A Organização Mundial de Saúde estima que mais de mil milhões de pessoas sofrem de Hipertensão Arterial (HTA), que é um dos principais fatores de risco das doenças cardiovasculares, da insuficiência cardíaca, da doença renal crónica e da demência.

No plano nacional, a Sociedade Portuguesa de Hipertensão admite que cerca de 45% dos cidadãos têm HTA e menos de metade dos casos estão controlados e medicados, pois é uma doença “silenciosa” que não dá sintomas.

Em Tomar a USF de Santa Maria, a USF de Marmelais, a UCSP de Tomar, a URAP e a Unidade de Saúde Publica do Médio Tejo juntaram-se para estreitar relações entre profissionais, doentes e associações, de forma a melhorar os cuidados e a literacia em saúde dos utentes.

As Farmácias da cidade, o Centro Municipal de Marcha e Corrida de Tomar e a Divisão de Desporto da CMT, também se associaram às entidades de saúde e organizaram uma caminhada para sensibilizar os cidadãos para os problemas da hipertensão.

A iniciativa designada por “CaminHaTA”, além de promover a interação dos profissionais do setor, está aberta aos tomarenses que devem participar nas atividades para obterem saúde “passo a passo” e ajustarem a intensidade do esforço à sua condição física.

No dia 29 de junho, no jardim da Várzea Pequena há a medição correta da Pressão Arterial por técnicos das Farmácias, entre as 14h e 15.30h, enquanto acontece a degustação de frutos secos e ervas aromáticas (isentas de sal e ricas em potássio), mediante a colaboração de formandos do IEFP.

Depois a “CaminHaTA” decorre entre o jardim da Várzea Pequena e o Açude de Pedra, passando pelo Eco-Trilho da Vala, a partir das 17.00 horas, sendo precedida de uma pequena “palestra” dada pela Médica Carla Lopes, a Enfermeira Sandra Sousa e a Nutricionista Carla Louro.     

Os coordenadores da “CaminHaTA”, Drº Daniel Castro e Fisiotª João Teixeira, lembram que além de usarem roupa e calçado ajustados, os tomarenses devem fazer a inscrição no Pavilhão Municipal de Tomar, nas USF de Santa Maria ou Marmelais, nas Farmácias ou ainda nas plataformas eletrónicas pelo QR CODE.

Os organizadores admitem continuar com estes eventos para as unidades de saúde estreitarem relações com a comunidade, fomentarem regimes alimentares saudáveis e atividades físicas dirigidas aos utentes e fazerem a prevenção primária e a alteração de maus hábitos comportamentais.                                                          

José Rogério