SERTÃ – Padre Manuel Antunes teve dia de homenagem

SERTÃ – Padre Manuel Antunes teve dia de homenagem

A vida e a obra do Padre Manuel Antunes foram lembradas durante o dia de homenagem que o Município da Sertã promoveu no passado dia 3 de novembro. O programa de atividades compreendeu a estreia de um documentário sobre o Padre Manuel Antunes, a apresentação de vários livros, um encontro com alunos, a inauguração de uma exposição e um passeio literário. O dia de homenagem começou com a inauguração de uma exposição na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, onde é possível encontrar objetos pessoais do homenageado, algumas edições antigas dos seus livros, as comendas e distinções que recebeu do Estado português e da academia, depoimentos de figuras destacadas da sociedade, um espaço dedicado à pseudonímia e trabalhos invocativos realizados por alunos das escolas do concelho. Carlos Miranda, presidente da Câmara Municipal da Sertã, inaugurou a exposição e recordou o Padre Manuel Antunes como “uma das maiores figuras do pensamento português”, com “um legado único e que temos a obrigação de divulgar sempre”. Sublinhando que é “muito importante celebrar o Padre Manuel Antunes”, Carlos Miranda garantiu que o Município vai continuar a lembrar “este grande vulto da cultura portuguesa, que nasceu na Sertã, em 1918”. Após a inauguração da exposição, o programa continuou com um encontro com alunos da Escola Secundária da Sertã, conduzido pelo professor e investigador José Eduardo Franco e que foi uma oportunidade para este público poder contactar com o legado do Padre Manuel Antunes e discutir um dos seus textos mais influentes, «Homem-Espuma». Devido às condições climatéricas desfavoráveis, o passeio literário agendado para o início da tarde viu o seu percurso alterado, tendo-se optado por realizar visitas às exposições patentes da Biblioteca Municipal e na Casa da Cultura – esta última também dedicada ao Padre Manuel Antunes e que ficará patente, à semelhança da primeira, durante todo o mês de novembro. A visita foi acompanhada pelo jornalista e investigador Rui Lopes. Pelas 17 horas, teve início, na Biblioteca Municipal, a apresentação do livro «A Rússia em Questão», um conjunto de textos escritos pelo Padre Manuel Antunes acerca da Rússia e do império soviético e que contou com a participação de João Relvão Caetano, Pró-Reitor da Universidade Aberta. Seguiu-se a apresentação do livro «Padre Manuel Antunes, sj, Responde», pela investigadora Paula Carreira. Esta coletânea é uma excelente abordagem à obra do pensador, nas suas mais diversas áreas de reflexão. Miguel Real teve a seu cargo a apresentação do número 10 da revista «Letras com Vida», que dedicava um dossiê temático ao Padre Manuel Antunes. A terminar, foram ainda apresentadas as atas do «Congresso Internacional Repensar Portugal, a Europa e a Globalização: 100 Anos do Padre Manuel Antunes», que reúnem todas as intervenções dos convidados deste encontro, que aconteceu em novembro de 2018. O professor e investigador José Eduardo Franco, juntamente com a investigadora Susana Alves-Jesus, tiveram a seu cargo a divulgação desta obra, com moderação a cargo de Ana Sofia Marçal, que já havia moderado também as apresentações anteriores. Pouco depois das 18h30 decorreu o lanche literário no Salão Nobre do Clube da Sertã e, uma hora depois, o Cineteatro Tasso recebeu uma breve conversa sobre o Padre Manuel Antunes, com Teresa Calçada, antiga aluna do Padre Manuel Antunes e ex-comissária do Plano Nacional de Leitura. O presidente da Câmara da Sertã moderou esta conversa, aproveitando no final para tecer mais alguns elogios à figura do Padre Manuel Antunes e lembrar os antigos autarcas José Paulo Farinha e José Farinha Nunes como obreiros de outros atos de homenagem a esta personalidade indelével das letras e da academia portuguesa. O ponto alto deste dia de homenagem foi a estreia nacional, no Cineteatro Tasso, de um documentário sobre a vida e obra do Padre Manuel Antunes. O filme de 69 minutos contou com depoimentos de personalidades de relevo da sociedade portuguesa como António Ramalho Eanes, Francisco Pinto Balsemão, Eunice Muñoz, Lídia Jorge, Luís Miguel Cintra ou Teresa Calçada. Neste documentário foi ainda possível ouvir uma entrevista inédita concedida, em maio de 1974, pelo Padre Manuel Antunes à RDP.