SERTÃ – Comissão Europeia entregou certificado IGP ao Maranho

SERTÃ – Comissão Europeia entregou certificado IGP ao Maranho

A cerimónia de atribuição do certificado de Indicação Geográfica Protegida (IGP) ao Maranho da Sertã decorreu no passado dia 16 de julho, durante o Festival de Gastronomia do Maranho da Sertã. Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal da Sertã, Carlos Miranda, recebeu o certificado das mãos da Representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Moreira de Sousa, sob o olhar atento da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, que também marcou presença neste ato solene. Carlos Miranda, no momento da entrega do certificado, chamou também ao palco António Simões, da Associação de Produtores do Concelho da Sertã (AproSer), notando que esta distinção se devia sobretudo “ao trabalho que, durante anos, foi desenvolvido pelos produtores do concelho”. No seu discurso, o presidente da Câmara da Sertã deixou uma palavra de homenagem ao anterior executivo municipal pelo trabalho desenvolvido durante o processo de certificação e desdramatizou alguma da polémica surgida nos últimos meses com os municípios vizinhos: “Estamos a certificar a especificidade do Maranho da Sertã e não o Maranho. Nós sabemos que o Maranho é um produto de toda a região e que há muitos concelhos no interior que também o têm”. Lembrando a “ligação muito profunda que existe entre a população da Sertã e o seu Maranho”, Carlos Miranda destacou “o papel e o investimento inquestionável que os produtores, empresários e o Município da Sertã têm feito para valorizar este produto”. Por seu lado, a Representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Moreira de Sousa, deixou palavras elogiosas à Sertã e ao seu Maranho, informando que, com esta certificação, o Maranho passa, a partir de agora, a constar “da lista de produtos que a União Europeia protege”. Já a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, mostrou-se muito satisfeita com a atribuição do certificado IGP ao Maranho da Sertã: “É uma maneira de dar um selo de qualidade e garantia a um produto único”. A governante destacou ainda a importância deste selo não apenas para a “valorização do Maranho”, mas sobretudo para o desenvolvimento da economia local, em especial do turismo.