SANTARÉM – Exposição “Eu efémero” mostra reflexão de João Maria Ferreira sobre...

SANTARÉM – Exposição “Eu efémero” mostra reflexão de João Maria Ferreira sobre a condição humana na sociedade

A Exposição “Eu Efémero”, de João Maria Ferreira, vai estar patente, em simultâneo, no Palácio Landal e no Fórum Actor Mário Viegas, até 18 de junho, numa organização da Câmara Municipal e do Centro Cultural Regional de Santarém.
João Maria Ferreira pretende mostrar uma reflexão sobre a condição humana na sociedade, em que “a figura do chimpanzé, do primata, ganha, nesse sentido, uma força tremenda no trabalho do autor, a par da efemeridade que qualquer artista sente não só quando termina uma obra, mas sobretudo quando se apercebe que não existe só um caminho, e que muitas vezes são as opções que possibilitam a verdadeira procura do que faz realmente sentido na arte”. O autor de “Eu Efémero” confessa que “a oportunidade de dispor de dois espaços de exposição em simultâneo fez-me refletir bastante na forma mais correta de apresentar o meu trabalho. Isto porque este, tal como eu, não trata de algo constante, linear”.
Para João Ferreira, o percurso, “particularmente nesta fase inicial da minha carreira, uma forma de aprendizagem constante”, que acaba por ser um reflexo do percurso, em que opta por juntar, de forma cronológica, as várias fases e as várias formas de trabalhar a arte. “A pintura, a escultura, a banda desenhada, a ilustração e o vídeo, sem esquecer pequenas aventuras e incursões noutros mundos como a gravura, tudo acaba por fazer parte de uma mesma individualidade”, explica João Ferreira.
No Fórum Actor Mário Viegas, expõe trabalhos mais formais, de cariz mais clássico e tradicional, sem nunca, no entanto, cair no estereótipo do retrato formal, tendo em conta que, para João Ferreira, “sempre foi importante que a minha marca pudesse estar presente e a mesma fosse percetível, sendo ainda mais importante a mensagem que pretendo libertar para o público, muito embora considere menos importante, ou nada até, que essa mensagem seja sempre aquela que eu idealizei. Afinal de contas de que vale a arte senão pela sua subjetividade?”
A Exposição vai estar patente até dia 18 de junho, e pode ser visitada, no Palácio Landal, de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00 e ao sábado, das 10h00 às 13h00, e no Fórum Actor Mário Viegas, de segunda a sexta-feira, das 15h00 às 18h30 e ao sábado, das 10h00 às 13h00.www.cm-santarem.pt