SANTARÉM – APAV convida a “Dançar Contra a Violência”

SANTARÉM – APAV convida a “Dançar Contra a Violência”

A APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, no âmbito da celebração dos 25 Anos, promove no dia 30 de maio, a iniciativa “Dançar Contra a Violência”, em Santarém. A ação tem lugar às 11h00, na Praça Sá da Bandeira (Largo do Seminário), e pretende homenagear todas as vítimas de crime e violência, para além de ser uma forma de protesto contra qualquer crime.O anúncio foi feito hoje em conferência de imprensa, no W Shopping, em Santarém, por Susana Pita Soares, Vereadora da Ação Social e Saúde da Câmara de Santarém e por Carmen Ludovino, Gestora do GAV – Gabinete de Apoio à Vítima – APAV Santarém.Susana Pita Soares afirmou que “quando se fala na celebração de 25 anos, lembramo-nos de um casamento em que se celebra o amor e a partilha. Infelizmente, muitas mulheres, crianças, jovens e também homens, vivem histórias de medo. Nada é mais vil, do que descarregarmos sobre o outro o nosso dia-a-dia, as adversidades e as frustrações, que levam algumas pessoas a atitudes indignas e condenáveis”. A Vereadora da Ação Social e Saúde da Câmara de Santarém lembrou que “a APAV existe porque muitas vezes, cala a dor daqueles que são vítimas de maus tratos.”, e acrescentou que as denúncias estão a aumentar mas os casos de violência não, o que demonstra que hoje, as pessoas têm mais coragem para denunciar maus tratos”.Susana Pita Soares revelou que sonha a cada dia “para que não haja necessidade deste gabinete, o que seria um sinal de que todas as crianças, jovens, mulheres, idosos e também alguns homens teriam uma vida digna”.Carmen Ludovino convida todas as pessoas a associarem-se a esta iniciativa “como forma de protesto contra qualquer tipo de crime.”, de modo a “sensibilizar a comunidade em geral, através da dança, como esperança para todos os que sofrem”.A Gestora do GAV – Gabinete de Apoio à Vítima – APAV Santarém convida a população “a associar-se a esta iniciativa, de modo a que se juntem mais de mil pessoas a dançar, como forma de protesto contra a violência e o crime.”Diana Chaves é a apresentadora deste evento comemorativo dos 25 anos da APAV, em que todos os participantes são convidados a dançar as coreografias apresentadas, que são dedicadas a grupos específicos de vítimas: crianças abusadas sexualmente, mulheres vítimas de violência doméstica, vítimas de homicídio, pessoas idosas vítimas de crime e de violência, vítimas de discriminação racial e étnica, entre outros.Os participantes são convidados a levar uma t-shirt branca vestida, como símbolo da paz e podem adquirir uma fita encarnada para o pulso, como símbolo de protesto contra o crime, pelo preço de 1 euro, à venda no evento ou antecipadamente, na APAV – Gabinete de Apoio à Vítima de Santarém e no Ginásio Scape. Todos os participantes são convidados a dançar as coreografias dinamizadas pela professora “pro bono” Mara Almeida, do ginásio Scape.A canção-hino da APAV, pelas vítimas de violência doméstica (letra e música de Rodrigo Guedes de Carvalho), vai ser cantada por Maria Teresa Azoia.No final será dançada uma coreografia da canção “Cansada”, pelos dançarinos Vasco e Carla Serranho da Escola Jardim de Tango, que homenageia todas as vítimas.www.cm-santarem.pt