PROENÇA-A-NOVA – Exposição de Jorge Marquez no Posto de Turismo até final...

PROENÇA-A-NOVA – Exposição de Jorge Marquez no Posto de Turismo até final de março

............

Um piano, um saxofone, uma guitarra portuguesa, um gramofone, uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, um crucifixo, uma bicicleta ou uma moto: estes são alguns dos objetos em tamanho real a que Jorge Marquez deu vida recorrendo à arte da filigrana em arame e que agora estão em exposição no Posto de Turismo durante os meses de fevereiro e março. No dia da inauguração, que se realizou a 6 de fevereiro, o artista explicou o uso da filigrana, que anda pelo mundo inteiro: “gosto muito do que é nosso. Nós é que parece que não gostamos muito do que é nosso, mas eu gosto muito”. A diferença é que esta filigrana é feita com arame e não o material nobre com que costuma ser criada. A residir no concelho vizinho de Oleiros, o objetivo de Jorge Marquez é criar um Museu de Arte Viva onde possa colocar as esculturas com o princípio de filigrana – e as suas pinturas – e trabalhar ao vivo, de modo que os visitantes possam ter a noção da execução de uma peça. O artista explicou que gosta de trabalhar em várias peças ao mesmo tempo o que pode, por vezes, aumentar o prazo de execução das mesmas: o piano, por exemplo, demorou quase quatro meses a ser feito. “Pensava que ia ser mais fácil e afinal não foi, porque eu tento fazer o máximo possível de pormenores, tanto que ele tem cordas por dentro. Outro artista qualquer se calhar fecharia a tampa e ficava ali um retângulo. Eu não sigo isso porque quis que ele tivesse cordas e tudo isto demora muito tempo, mas é o pormenor que faz com que o meu trabalho seja melhor”, referiu. Para além de estarem à venda, Jorge Marquez aceita encomendas, ainda que, como diz, se pudesse não vendia nada. “Não é o dinheiro que me move. Posso ter uma grande vivenda com piscina e não ser feliz e posso viver numa casa só de uma divisão e ser muito feliz, que é o que eu sou, porque faço o que gosto”. Presentes na inauguração estiveram vários artistas do concelho, como Silvia Mathys, Cavalheiro Cardoso e Yola Vale, abrindo a possibilidade para uma futura colaboração, até porque as peças de Jorge Marquez incluem outros materiais para além do arame, por exemplo a cerâmica. João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, salientou esta possibilidade, referindo também que “a arte pode estar ao serviço da coesão dos territórios”. Agradecendo a disponibilidade do artista em expor no concelho, convidou o artista a falar sobre o seu processo criativo que inclui pintura em diversos materiais, como pastel, óleo, aguarela e aerografia. A exposição pode ser vista no Posto de Turismo, na Rua do Rossio, em Proença-a-Nova, no horário de segunda a sexta-feira entre as 9h00 e as 18h30, aos sábados entre as 9h30 e as 15h00 e aos domingos e feriados entre as 9h30 e as 13h30.