PROENÇA-A-NOVA – BioAromas Liis vence Concurso de Ideias Social IN

PROENÇA-A-NOVA – BioAromas Liis vence Concurso de Ideias Social IN

O projeto BioAromas Liis – Laboratório de Integração e Inovação Social recebeu o primeiro prémio no Concurso de Ideias Social IN, promovido pela Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento, no âmbito da realização da VI Feira Social IN nos dias 27 e 28 de outubro, em Castelo Branco. Na perspetiva do projeto, este primeiro lugar é um reconhecimento de todo o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Centro Ciência Viva da Floresta e pelos jovens e adultos que ocupam o seu dia com as atividades do BioAromas Liis, onde a ciência está ao serviço da integração social. Para além do prémio monetário de 400€, que será utilizado na consolidação do projeto, o BioAromas Liis recebe ainda a oferta de um período de incubação de um ano na Incubadora Social IN e um ano de acesso gratuito a todos os programas de capacitação da Incubadora Social IN. Participaram cinco projetos sociais neste concurso, tendo sido atribuídos prémios aos três melhores projetos, avaliados 60% por um painel de júri e 40% pelo público. “Encher Chouriços” e “Social-Mente” ficaram em segundo e terceiro lugar. A presença de outras iniciativas foi destacada, tendo havido partilha, transmissão de ideias, de conhecimento e houve projeção do projeto a nível distrital. O público presente na feira teve a possibilidade de conhecer um dos resultados do projeto – as diversas infusões que são preparadas no âmbito da horticultura terapêutica – e um dos adultos apoiados. “Este dinamismo despertou a curiosidade dos presentes porque efetivamente o Bioaromas liis é um projeto com um cariz social muito forte, inovador e diferenciador”. O BioAromas – Laboratório de Integração e Inovação Social é um projeto financiado pelo Portugal Inovação Social – Parcerias para o Impacto, com o apoio do Centro Ciência Viva da Floresta, do Município de Proença-a-Nova e do Seminário do Preciosíssimo Sangue de Proença-a-Nova. O objetivo é o de promover, através da ciência, a valorização pessoal e integração social de pessoas com deficiência, estimulando o desenvolvimento das suas capacidades funcionais e psíquicas, tanto pela produção de plantas aromáticas, como de outras atividades lúdico-terapêuticas. Fotografia da Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento