OURÉM – Está constituída a Associação Caminhos de Fátima

OURÉM – Está constituída a Associação Caminhos de Fátima

A escritura pública da Associação Caminhos de Fátima foi assinada na passada sexta feira, em Fátima, pelos 14 Municípios que integram esta estrutura. A saber: Vila Nova de Gaia, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Albergaria a Velha, Águeda, Anadia, Mealhada, Coimbra, Condeixa, Soure, Pombal, Leiria e Ourém.
Após a formalização da Associação Caminhos de Fátima realizou-se a primeira Assembleia Geral e a consequente eleição dos órgãos diretivos. O Município de Ourém, representado pelo presidente da Câmara, Paulo Fonseca, integra a direção da Associação.
O incremento da segurança e melhoria das condições de fruição turística e cultural de todos aqueles que, anualmente e aos milhares, percorrem a pé os caminhos até à Cova da Iria, é o objetivo desta Associação, que pretende ainda fomentar e defender os tradicionais Caminhos de Fátima, em todas as suas dimensões, ajudar o Peregrino e defender e promoção do património cultural dos Caminhos de Fátima. A pouco mais de ano e meio de se assinalar os 100 anos das Aparições e com a visita prevista do Papa Francisco ao Santuário em maio de 2017, a Associação Caminhos de Fátima pretende estruturar, tornar mais seguro, certificar, interpretar e gerir todas as etapas deste percurso cultural e religioso.
A primeira etapa já estudada – e que ligará Porto a Fátima, numa distância de 212 quilómetros -, é percorrida por 80% dos peregrinos/caminhantes que chegam ao Santuário. O estudo efetuado permitiu estabilizar um itinerário alternativo que se desenrola em 96% da sua distância fora das Estradas Nacionais (N1), com apenas um acréscimo de 8% na distância total do percurso. Este traçado identificado, testado e consensualizado pelos 14 Municípios que integram a Associação Caminhos de Fátima permite: recuperar calçadas romanas; atravessar vales agrícolas; aproveitar canais ferroviários desativados ou a desativar; incorporar margens ribeirinhas; integrar caminhos rurais e atravessar povoados, com uma clara vantagem para o espírito da peregrinação ou da caminhada.
Sendo estes 14 Municípios os membros fundadores, a Associação está aberta a todas as participações privadas e públicas, singulares ou coletivas. Os Programas Operacionais do Norte e do Centro, conscientes da importância e do alcance do Projeto, tomaram a iniciativa de propor à Comissão Interministerial de Coordenação a abertura de um Convite, dirigido aos 14 Municípios abrangidos pelo itinerário a implementar, ou à Associação que para o efeito constituam, no valor de 3.500.000 euros o que viabilizará intervenções com um investimento superior a 4.000.000 euros.