OURÉM – D. José Ornelas Carvalho foi nomeado como o novo Bispo...

OURÉM – D. José Ornelas Carvalho foi nomeado como o novo Bispo do Santuário de Fátima

O reitor do Santuário de Fátima, Padre Carlos Cabecinhas, agradeceu a “solicitude pastoral” do cardeal D. António Marto e dá as boas-vindas ao novo bispo, D. José Ornelas Carvalho, que foi nomeado esta sexta-feira, dia 28 de janeiro, bispo da diocese de Leiria-Fátima e, consequentemente, a partir de agora, o primeiro responsável por este Santuário. “Neste momento, quero agradecer ao senhor cardeal D. António Marto toda a dedicação que teve para com o Santuário de Fátima e para com os seus peregrinos. Não tenho dúvidas de que ficará no coração dos peregrinos de Fátima, quer pela sua proximidade, quer pela profundidade da sua reflexão sobre Fátima e a sua Mensagem quer, ainda, pela sua solicitude pastoral”, afirma o padre Carlos Cabecinhas, nomeado reitor do Santuário por D. António Marto, em 2011. “Dou também as boas-vindas ao senhor D. José Ornelas Carvalho, que assume agora esta nova missão”, continua o reitor, sublinhando o conhecimento que o novo prelado já tem da instituição: “porque já presidiu aqui a celebrações, já colaborou com o Santuário, já veio muitas vezes a Fátima, mas sobretudo porque presidia e preside ao Conselho Nacional da Conferência Episcopal para o Santuário de Fátima”. “No início do novo ministério que lhe é confiado, o Santuário deseja-lhe as maiores felicidades e assegura-lhe a oração dos peregrinos para que o Senhor o acompanhe no novo ministério, com as bênçãos da mãe do Céu”, conclui o reitor.

O novo bispo entrará na diocese no próximo dia 13 de março, numa celebração a que presidirá na Sé de Leiria, no dia em que, no Santuário, se faz memória das Aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos, na Cova da Iria. Aliás, a ligação de D. José Ornelas a Fátima é antiga e, na mensagem que dirige a todos os diocesanos de Leiria-Fátima, no dia em que se conhece a sua nomeação para esta diocese, recorda que o seu ministério episcopal em Setúbal se iniciou com o acompanhamento da Virgem Peregrina de Fátima. “Quando comecei o meu ministério episcopal em Setúbal, percorri a Diocese com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que aqui estava de visita. Ela foi a minha primeira guia na missão que Deus me confiava. Agora, peço-lhe que me acompanhe nesta nova missão em Leiria-Fátima. Que ela nos ensine a todos a sermos uma Igreja modelada na sua atitude de Mãe carinhosa, atenta à Palavra de Deus. Aprendamos a ser uma Igreja cuidadora de todos, especialmente dos mais pequenos e frágeis, como Ela fez com os Pastorinhos, aos quais se revelou, consolou, fortaleceu e deu esperança, para vencerem inúmeras dificuldades, como a pandemia, a doença, a guerra e a própria morte”, afirma. O novo bispo de Leiria-Fátima dirige-se ainda ao reitor do Santuário de Fátima e a todos os colaboradores. “Ao padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima e a quantos que com ele servem este local especial de referência para a Igreja e o mundo, dirijo uma saudação amiga, com muita alegria e esperança”. Até à entrada do novo bispo titular, a 13 de março, D. António Marto permanecerá como Administrador Apostólico. Na hora da despedida, “ao aproximar-se a idade canónica limite e sentindo também maior limite das forças físicas e anímicas para exercer adequadamente o cargo, face às exigências pastorais da Diocese e do Santuário de Fátima”, apresentou ao Santo Padre o pedido de renúncia ao governo pastoral da Diocese. Na mensagem dirigida a toda a diocese de forma sentida, D. António Marto agradece a “compreensão paternal” do Santo Padre, e, perante os diocesanos, perpetiva o percurso feito: “tudo o que vivemos e realizámos em comum, caminhando juntos nestes dezasseis anos, foi sobretudo obra de Deus, Senhor da vinha”. “As realizações pastorais que se alcançaram são fruto do esforço e da generosidade de todos”, enfatiza. “Amei e continuarei a amar com toda a minha alma esta Igreja de Leiria-Fátima e os seus fiéis, como me senti querido por tantos de vós. Senti-me entre vós em família, como bispo irmão entre irmãos. Deus sabe que não busquei honras nem aplausos. Mas levo uma riqueza que não trocaria por todo o ouro do mundo: o coração cheio de nomes e rostos, que são os vossos, sobretudo dos `meus amiguitos e amiguitas´. E levarei comigo o título mais honroso: o de bispo emérito de Leiria-Fátima! Como levarei sempre comigo, gravada na retina da alma e do coração a imagem de Nossa Senhora de Fátima, querida e terna Mãe, e dos santos Pastorinhos, de quem tenho recebido tanta ternura e tantas graças”, destaca ainda.