OLEIROS – XV Feira do Pinhal foi inaugurada nesta quarta-feira

OLEIROS – XV Feira do Pinhal foi inaugurada nesta quarta-feira

O Ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, inaugurou a 15.ª edição da Feira do Pinhal, este ano dedicada ao Cabrito Estonado e à Floresta. A cerimónia de boas -vindas decorreu no Salão Nobre dos Passos do Concelho e na ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Oleiros, Fernando Jorge, agradeceu a vinda do Sr. Ministro a Oleiros, situado naquele que é considerado “o coração e o pulmão do Pinhal”. Nesse sentido, o autarca lembrou ainda os lesados com o incêndio florestal do passado dia 3.

Os fundos comunitários foram também abordados por Fernando Jorge e nesse âmbito, o presidente lembrou a necessidade da construção de um auditório multiusos, decorrente da realização de um concurso de ideias, solicitando o apoio a uma candidatura já efetuada. O autarca referiu ainda outras candidaturas, nomeadamente relacionadas com o património religioso, assim como a criação do Espaço do Cidadão, no âmbito da modernização administrativa. Na sua intervenção, Miguel Poiares Maduro lamentou a ocorrência do incêndio florestal ocorrido, o qual chegou a ter 5 km de frente e consumiu 700 ha de floresta, realçando a resposta muito atempada dos bombeiros. O Ministro referiu ainda o fenómeno da interioridade, num processo de décadas de desvalorização. Segundo o próprio, “é necessário fixar populações para garantir o dinamismo económico e social. Só tirando partido dos ativos do território conseguimos a coesão social e vencer o desafio da competitividade assente nos recursos endógenos”, disse.

Referindo-se aos apoios sociais, o governante afirmou que o Estado tem apoiado o Interior, “diferenciando positivamente os territórios de baixa densidade com majorações nos apoios na ordem dos 10% e com a abertura de concursos específicos para estes territórios, como por exemplo através da criação de centros de excelência de investigação científica, em cooperação com as universidades do Interior. Poiares Maduro afirmou que “esta é uma questão de justiça para todos os portugueses. Os territórios têm desafios diferentes, pelo que deve haver diferenciação e não discriminação. Por último, referiu ainda a criação dos Espaços do Cidadão, mais de 300 no país, com cerca de 160 serviços e envolvendo 15 entidades públicas, os quais assentam numa lógica de descentralização da administração pública e de maior proximidade com os cidadãos. Segundo o governante “temos de convergir com a Europa. Não podemos ter um país que funciona a diferentes velocidades”.