OLEIROS – Comissão de Defesa da Floresta Contra Incêndios aprova POM

OLEIROS – Comissão de Defesa da Floresta Contra Incêndios aprova POM

Realizou-se no passado dia 19 de março, no Auditório da Casa da Cultura de Oleiros, a primeira reunião de 2015 da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (CMDFCI) de Oleiros, na qual foi apresentado e aprovado por unanimidade o Plano Operacional Municipal (POM) de Defesa da Floresta Contra Incêndios referente ao corrente ano. Esta aprovação é a primeira do distrito e refere-se a um documento elaborado pelo Gabinete Técnico Florestal do Município que congrega o planeamento anual de todos os meios envolvidos no dispositivo DFCI durante o período crítico. Como nota adicional nesta edição do POM, foi referida a incorporação de uma nova viatura afeta à Junta de Freguesa de Mosteiro, a qual irá reforçar o dispositivo, nomeadamente no que se refere à vigilância do território durante a época de incêndios florestais.

PMDFCI de Oleiros (2015-19) já foi apresentado – Nesta primeira reunião de 2015 da Comissão Municipal DFCI foi apresentado o Plano Municipal DFCI de Oleiros referente ao período de 2015-19. Após a sua apresentação, foi aprovado por unanimidade o envio deste documento para o ICNF, entidade à qual caberá a sua aprovação. Relembra-se que está em vigor o PMDFCI 2013-17, sendo a nova edição uma revisão e ajustamento do período de planeamento para 2015-19. Este plano elaborado na íntegra pelo Gabinete Técnico Florestal do Município tem como objetivos principais promover a gestão florestal e intervir preventivamente em áreas estratégicas; sensibilizar e educar a população; fomentar o conhecimento das causas dos incêndios e das suas motivações; articular os sistemas de vigilância e de deteção com os meios de 1.ª intervenção; adequar a capacidade de 1.ª intervenção; melhorar a eficácia do rescaldo e vigilância pós-incêndio; recuperar e reabilitar ecossistemas e operacionalizar a própria CMDFCI. No âmbito do PMDFCI, foi aprovada por esta Comissão a localização e construção 14 pontos de água (13 reservatórios e 1 açude), tirando partido da abundância em recursos hídricos nos locais considerados. Nesta reunião foi também aprovado o Plano de Fogo Controlado para a execução de algumas das parcelas da Rede Primária de Faixas de Gestão de Combustível.POM