MÉDIO TEJO – Múltiplos olhares sobre o exercício da enfermagem

MÉDIO TEJO – Múltiplos olhares sobre o exercício da enfermagem

Múltiplos olhares sobre o exercício da enfermagem – o contributo do enfermeiro diretor foi o tema debatido, no passado dia 21 de maio, no âmbito das comemorações do Dia Internacional do Enfermeiro. Esta sessão decorreu na Unidade Hospitalar de Torres Novas, do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, e contou com a intervenção de Sérgio Gomes, Chief Nursing da Direção Geral de Saúde. Com moderação de Ana Paula Eusébio, Enfermeira diretora do CHMT, EPE, os comentários estiveram a cargo de José Ribeiro, Enfermeiro diretor do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, Margarida Filipe, Enfermeira diretora, da Unidade de saúde Local de Matosinhos, Carla Mendes, , Enfermeira diretora do Centro Hospitalar de Setúbal e Carlos Portugal, Enfermeiro diretor do Centro Hospitalar de Tondela – Viseu. As diferentes reflexões apontaram para os desafios do futuro da enfermagem, em olhares do interior da profissão que devem projetar-se para o exterior e para a comunidade. Ana Paula Eusébio, Enfermeira diretora do CHMT, EPE, considera ser esta iniciativa, “um momento de reflexão e partilha sobre a Enfermagem e a sua Essência, O Cuidar e as estratégias gestionárias desse mesmo cuidar. A Reflexão sobre o Presente e o caminho para um futuro, tendo como mote “Uma voz de Liderança, Saúde para todos”, onde a Enfermagem deve encontrar oportunidades. As decisões de cada Enfermeiro podem fazer a diferença na concretização de um plano estratégico, baseado em indicadores de qualidade dos cuidados de enfermagem, com o objetivo principal, obter ganhos em saúde”. Para Ana Paula Eusébio “o caminho, a Excelência do Cuidar em Enfermagem, no atual contexto em Fazer Diferente, atinge-se fazendo a diferença através de uma Enfermagem com visão, integrativa, cientifica, de competências, de proximidade, de accountability, de gestão estratégica, centrada na formação académica e com uma visão holística. Uma Enfermagem de futuro, onde todos têm de se fazer co-responsáveis pelo processo do cuidar, com resultados evidentes e na senda da melhoria contínua de qualidade.”
Este momento de reflexão contou com um momento musical inicial, apresentado pelo Conservatório de Música Jaime Chavinho, com um duo de piano e violino.