MÉDIO TEJO – Coronavírus. Região tem 2703 infecções activas e vive pior...

MÉDIO TEJO – Coronavírus. Região tem 2703 infecções activas e vive pior momento desde a chegada da pandemia

Há, nesta altura, 2703 infecções em curso no Médio Tejo, num registo preocupante e que demonstra que esta é a pior fase desde a chegada da pandemia à região. Na recente actualização da Unidade de Saúde Pública, registo para a detecção de mais 112 contágios, agora num total de 6373. Tomar, por exemplo, teve mais 46 casos, enquanto que em Ourém foram descobertos mais 36. Abrantes e Alcanena somaram mais 14 e houve mais dois em Mação. 3523 pessoas tiveram ‘alta’. Há a lamentar a morte de 141 pessoas, a mais recente das quais no concelho de Constância.

Perante este recente boletim da Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo, Ourém é o concelho com maior número de infecções activas, num total de 636, seguindo-se Torres Novas com 527 e Tomar com 363.

Eis os dados actualizados desde o início da pandemia: Ourém (1630 infecções, 975 recuperações e 19 óbitos), Torres Novas (1053 casos, 507 recuperações e 19 mortes), Tomar (971 casos, com 592 recuperados e 16 óbitos), Abrantes (815 infectados, 474 estão curados e 33 mortes), Entroncamento (621 infecções, 382 recuperados e 18 mortes), Alcanena (485 casos, 245 recuperações e 18 vítimas mortais*), Mação (265 infecções, 104 recuperados e seis óbitos), Ferreira do Zêzere (213 casos, 54 dos quais já recuperados e duas vítimas mortais), Vila Nova da Barquinha (139 casos, 71 dos quais dados como curados e três mortes), Constância (92 infecções, 59 das quais já recuperadas e quatro mortes) e Sardoal (com 89 casos e 60 recuperados e três óbitos).

* Alcanena tinha 24 óbitos mas a DGS diminuiu esse ‘registo’ devido à causa efectiva da morte nas certidões de óbito.