MÉDIO TEJO – Centro Hospitalar contratou cinco especialistas para a medicina interna

MÉDIO TEJO – Centro Hospitalar contratou cinco especialistas para a medicina interna

A especialidade de Medicina Interna, no Centro Hospitalar do Médio Tejo – que comporta os hospitais de Tomar, Abrantes e Torres Novas – foi reforçada com a colocação de cinco novos elementos. Deste lote, três vão reforçar a Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP) e dois o Serviço de Medicina Interna. Num esclarecimento enviado para a nossa redacção, o Centro Hospitalar assegura que «o reforço dos Recursos Humanos se mantém como aposta do Conselho de Administração que, para além destes cinco especialistas em Medicina Interna, contratou mais um Alergologista, uma Pedopsiquiatra, um especialista em Imuno-hemoterapia e uma especialista em Nefrologista que fez a sua formação no Centro Hospitalar». Estas especialidades, cujas carências eram sentida pelos Serviços, ficam reforçadas na prestação de cuidados de saúde à população da área de influência do Médio Tejo.

Fátima Pimenta, diretora do Serviço de Medicina Interna, destaca ser “um orgulho para o nosso Serviço que as 5 vagas disponíveis tenham sido todas ocupadas. Três deles fizeram a sua formação no nosso Centro Hospitalar e dois vêm de outros Hospitais, nomeadamente São José”. A diretora do Serviço de Medicina Interna afirma, ainda, que a colocação destes cinco elementos “vai permitir o desenvolvimento de novos projetos e uma melhoria nos cuidados prestados aos doentes. Trata-se de internistas com uma excelente formação e com grande capacidade de trabalho e inovação que nos vão ajudar a fazer do nosso Serviço uma referência, quer em cuidados prestados à população, quer na área da formação médica e da investigação”. Fátima Pimenta realça, igualmente, a importância destes especialistas escolherem “o nosso Hospital, tendo em conta a necessidade de manter os atuais projetos do Serviço de Medicina Interna iniciados em 2018 – Hospital de Dia e Hospitalização Domiciliária, para assim continuarmos a melhorar e a inovar nos cuidados que podemos oferecer à nossa população”.

Nuno Catorze, diretor da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP), considera que a “contratação de 3 profissionais para a Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP) permitirá incrementar a qualidade assistencial aos doentes críticos que ocorrem às Unidades Hospitalares do CHMT, permitindo um apoio físico permanente na Sala de Emergência do Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica, o que facilitará a abordagem multidisciplinar de todos os doentes que necessitem de apoio diferenciado, diminuição do tempo de decisão terapêutica e tratamento definitivo”.

Nuno Catorze realça ainda, “dentro da mesma lógica do incremento de recursos humanos, a Equipa de Reanimação Intra-Hospitalar (ERI) que já funciona, passará também ela, a desempenhar funções de outreach interno, junto dos serviços de internamento”, o que constitui alcançar-se um novo patamar de qualidade na prestação de cuidados.
Estes novos elementos passarão “pela necessária formação em Medicina Intensiva, de forma atempada e protocolada, onde irão fazer a devida especialização em Hospitais Centrais” salienta o diretor da UCIP.
Para Nuno Catorze “a mais-valia da diferenciação na UCIP é espelhada pelo reconhecimento da Ordem do Médicos na capacidade formativa por este Serviço do CHMT, EPE, a Internos de várias especialidades, incluindo em 2020, com a receção de internos de formação específica de Medicina Intensiva” afirma acrescentando ser “a nossa UCIP a única com capacidade formativa em todo o distrito de Santarém”.

Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração do CHMT, EPE, sublinha o facto de três especialistas, destes cinco agora colocados, terem realizado a sua formação no Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE “o que confirma a crescente vontade dos internos em ficarem na Instituição, colocando o CHMT, EPE, como primeira opção na candidatura que efetuam no final da sua formação”. Carlos Andrade Costa destaca esta “tendência crescente, nos últimos três anos, da preferência dos recém-especialistas pelo CHMT, não só os da casa, os que fizeram cá o internato, como também os que vêm de fora. A Medicina Interna era uma especialidade com uma crónica carência de profissionais que, com estas novas colocações, fica mais confortável”.

O reforço dos Recursos Humanos no CHMT, EPE, mantêm-se como aposta do Conselho de Administração que, para além destes cinco especialistas em Medicina Interna, contratou mais um Alergologista, uma Pedopsiquiatra, um especialista em Imuno-hemoterapia e uma especialista em Nefrologista que fez a sua formação no CHMT, EPE.
Estas especialidades cujas carências eram sentida pelos Serviços ficam reforçadas na prestação de cuidados de saúde à população da área de influência do Médio Tejo. Para o presidente do Conselho de Administração do CHMT, EPE, “para além das evidentes vantagens na prestação de cuidados de saúde, estas novas contratações de médicos, nove no total, representam também uma mais-valia para a Região, na medida em que na sua maior parte são jovens, uns que vão fixar-se na Região, outros que regressam às suas casas, contribuindo assim para o desenvolvimento demográfico, económico e social de toda a Região do Médio Tejo, espelhando ainda, uma profunda articulação entre o CHMT, EPE e o Ministério da Saúde”.