Gualdim Pais caminha para a estabilidade financeira mas Bruno Graça recorda dificuldades...

Gualdim Pais caminha para a estabilidade financeira mas Bruno Graça recorda dificuldades «causadas pelo Governo»

Aquela que é a maior colectividade do concelho de Tomar – a Sociedade Filarmónica Gualdim Pais – reuniu, nesta quarta-feira, em Assembleia Geral. Deste encontro resultou a constatação de que a associação conseguiu finalmente ultrapassar as dificuldades financeiras com que se deparou nos últimos anos. Uma situação que resultou da estratégia de contenção levada a cabo e pelo empenhamento dos seus funcionários e que se traduziu na suspensão de novos investimentos, como referiu à Hertz Bruno Graça, o presidente da direcção: «Pensámos que a situação de crise seria passageira e que Portugal teria tempo para reencontrar caminhos de desenvolvimento, mas afinal não foi isso que se passou. As políticas definidas pelo Governo continuam a resultar em mais pobreza e em mais dificuldades às famílias e às entidades. Basta dizer que só nesta quarta-feira é que o Governo pagou salários de Dezembro e Janeiro ao ensino artístico, quando nós já pagámos Fevereiro e Março. A instituição está dois meses adiantada em relação ao que o Governo está a pagar. As medidas passaram pela adopção de uma estratégia diferente daquelas que estávamos a seguir que era de expansão e desenvolvimento. Tivemos que apelar, ainda mais, ao espírito de colaboração de todos, ao empenho de todos, que já era muito». A Sociedade Filarmónica Gualdim Pais regista já um saldo positivo que se traduz em quase 38 mil euros, saldo que resulta também da realização de um conjunto de acções regulares que permitiram angariar receitas.