ENTRONCAMENTO – Atenção à queda de preços nos transportes públicos. Viagens até...

ENTRONCAMENTO – Atenção à queda de preços nos transportes públicos. Viagens até Lisboa com poupança na ordem dos 50 euros

No próximo dia 1 de abril, o Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos entra em vigor, uma medida que irá favorecer a mobilidade na região do Médio Tejo e os sistemas de transportes locais, com impacto também nas ligações entre concelhos do citado território. No que ao Entroncamento diz respeito, registo para a aplicação de uma redução às tarifas dos TURE – Transportes Urbanos do Entroncamento, nomeadamente, a isenção do Passe Jovem e Cidadão Portador de Deficiência e a redução de 60% na tarifa do Passe Sénior e Passe Geral. Esta medida irá abranger, aproximadamente, 95.650 passageiros que anualmente viajam nos transportes urbanos. A implementação do PART traduz-se também na redução dos valores a pagar por utentes do percurso Entroncamento-Lisboa. A partir de 1 de abril, quem realiza este trajeto tem a possibilidade de combinar o passe regional até Vila Franca de Xira (164,20€), com o da Área Metropolitana de Lisboa (40,00€), o que representa uma redução substancial em relação aos 252,90€ pagos atualmente por quem conjuga a assinatura da CP com o passe do Metropolitano de Lisboa. A partir de 1 de maio, o custo mensal para os utilizadores atrás referido será ainda menor, com a aplicação das reduções negociadas pela CIMT com a CP. Esta medida terá influência sobre as cerca de 13000 assinaturas do serviço ferroviário, considerando as assinaturas dos trajetos entre concelhos do Médio Tejo e Lisboa e entre esses mesmos concelhos. As reduções poderão ascender aos 40% nas assinaturas normais, acrescidas de 25% de desconto suplementar nas assinaturas jovens. O Presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria, acrescenta que “o Município do Entroncamento com o facto de poder colocar no terreno uma política de transportes que promove a crescente utilização do transporte público, com valias ambientais, económicas e sociais, numa região em que os movimentos pendulares para Lisboa têm uma importância significativa. As reduções que vamos agora aplicar às tarifas dos TURE, contribuirão, naturalmente, para a maior atratividade dos transportes urbanos e, consequentemente, para a redução da pegada ecológica da nossa cidade.”