ECONOMIA – As 10 criptos que mais subiram em 2021

ECONOMIA – As 10 criptos que mais subiram em 2021

O ano de 2021 foi um bom ano para aqueles investidores que decidiram se arriscar no ramo das criptomoedas. Segundo levantamento da Passfolio, uma corretora de investimentos com foco no mercado americano, em 2021, mais precisamente durante o seu quarto trimestre, a negociação em moedas digitais descentralizadas cresceu cerca de 455%. 

 

Isso significa que as criptomoedas foram consideradas como um bom investimento para aqueles investidores com um perfil mais arriscado, que tem a pretensão de melhorar o desempenho de sua carteira. Esse aumento significativo pode ser atribuído ao baixo desempenho da bolsa, como também ao ótimo desempenho que as moedas digitais vem atingindo nos últimos anos. Com esse aumento geral das moedas digitais, quais foram as criptomoedas que mais se valorizaram em 2021? 

 

O que é uma criptomoeda?

Criptomoedas são moedas digitais descentralizadas. Mas o que isso significa? Isso significa que as criptomoedas são moedas que não existem fisicamente em nosso mundo, apenas digitalmente. Com isso fica explícito que não podemos tocar nessas moedas, muito menos guardá-las em um cofre ou debaixo de um colchão. 

 

Entendido a parte das moedas digitais, vamos para a palavra “descentralizadas”. Quando referimos que criptomoedas são moedas digitais descentralizadas, queremos dizer que elas são moedas que não estão sob o controle de algum órgão governamental que intermedie, controle e autorize a emissão dessas moedas.

 

Diante disso, dizer que criptomoedas são moedas digitais descentralizadas, quer dizer que as criptomoedas são uma espécie de dinheiro eletrônico, pois possuem valor, mas que não existem no mundo fisicamente; e que elas não são controladas por nenhum banco, assim, suas transações são livres.

 

Essas moedas são criadas por um sistema conhecido como “Blockchain”, um sistema que permite enviar e receber certos tipos de informações através da internet. Essas informações geram blocos de dados que navegam pela internet e encontram outros blocos de dados, assim formando uma corrente de dados, o que explica o nome “Blockchain”, que, traduzido, significaria algo como “corrente de dados”.

 

Valorização das criptomoedas

A recente alta no número de investidores em criptomoedas pode ser justificada pelo descontentamento dos investidores em renda variável com o mercado de ações, que não performou bem em 2021, o que fez com que a procura por investimentos alternativos aumentasse. Outro ponto que pode ter aumentado a procura e o preço das criptomoedas é a adesão de algumas instituições ao dinheiro eletrônico. Essa adesão faz com que o investidor médio reconheça, por meio dessas instituições, outros tipos de investimentos, assim, passando a investir neles. 

 

Um exemplo que demonstra o poder que essas instituições têm sobre a variação do preço das criptomoedas é a declaração de que a Tesla não aceitará mais transação com criptomoedas. Após a suspensão, o preço do Bitcoin caiu cerca de 13%. Outro exemplo é a recomendação, por parte de Elon Musk, CEO da Tesla, de que o McDonalds aceite o Dogecoin.

 

Com isso fica claro que a valorização ou a desvalorização de uma criptomoeda depende de diversos fatores. No entanto, o que se verifica no cenário econômico atual, embora haja oscilações, é o crescimento do número de investidores em criptomoedas e a valorização dessas moedas digitais.

 

Moedas digitais que mais se valorizaram em 2021

 

Como vimos, a valorização de um determinado ativo criptográfico depende de uma série de fatores, que podem ser a adesão de determinada empresa à forma de investimento, ou até mesmo um tweet sobre uma determinada moeda digital. No entanto, quanto mais criptomoedas entrarem no mercado tradicional e puderem ser encontradas em plataformas tradicionais como BitiQ, mais serão apreciadas. Você pode ler o artigo de revisão do BitiQ por especialistas da Eclac para ver se esta ferramenta de negociação é a escolha certa para você.

 

A partir disso, sem ordem específica, listamos as moedas digitais que mais se valorizaram no ano de 2021. Sendo elas:

 

 

  1. GALA: a criptomoeda faz parte de jogos pay-to-earn (jogue para ganhar). Teve um aumento de 45.825% em 2021;
  2. THE SANDBOX: também conhecida como SAND, faz parte do metaverso e utiliza de elementos cripto para efetuar as transações no jogo. Seu Token se valorizou cerca de 16.355%;
  3. AXIE INFINITY: em 2021, o token de nome AXS teve uma valorização de 16.249%;
  4. POLYGON: o Token de nome MATIC, em 2021, teve uma valorização de 14.553%;
  5. TERRA: o token conhecido como LUNA, em 2021, teve um aumento de 13.842%;
  6. FANTOM: o Token conhecido como FTM se valorizou 13.127% no ano de 2021;
  7. SOLANA: o Token conhecido como SOL teve uma valorização de 9.441% no ano passado;
  8. KADENA: a KDA teve uma valorização de 9.000% no ano anterior;
  9. HARMONY: por fim, o token ONE da Harmony teve uma valorização de 5.458% em 2021;
  10. DECENTRALAND: com o nome de MANA, o token da Decentraland se valorizou em 3.960%.

 

Conclusão

 

Com o fraco desempenho de investimentos mais tradicionais, as criptomoedas vêm ganhando mais espaço na carteira dos investidores. Isso acarreta no aumento da demanda por essas moedas digitais e, consequentemente, em sua valorização. Contudo, como visto, esse não é o único fato para que uma criptomoeda se valorize ou não.