CONSTÂNCIA – Centro Hospitalar do Médio Tejo reage às dificuldades nos Bombeiros...

CONSTÂNCIA – Centro Hospitalar do Médio Tejo reage às dificuldades nos Bombeiros e desmente dívida de 200 mil euros: «Encontra-se apenas um valor de 26 mil»

O Centro Hospitalar do Médio Tejo, que comporta os hospitais de Tomar, Abrantes e Torres Novas, diz «não reconhecer qualquer dívida para com a Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância», assegurando que se «encontra apenas um valor de cerca de 26 mil (ndr: os soldadoa da paz da Vila Poema reclamam 200 mil euros) e que resulta do apuramento final do contrato que então havia com a referida Associação Humanitária para o transporte de doentes deste CHMT». Em resposta a um pedido de esclarecimentos remetido pela nossa redacção, a administração do Centro Hospitalar dá conta de que «há poucos dias foi paga a quantia de dez mil euros, que resultou de recurso pontual do CHMT a esta Associação Humanitária», não deixando de recordar, no mesmo texto, que «o referido contrato foi abrupta e unilateralmente quebrado pela mesma Associação Humanitária com um aviso de apenas cerca de 48 horas, o que trouxe graves constrangimentos para a prestação de cuidados aos utentes do CHMT». O esclarecimento refere, também, que se «realizou uma reunião entre o Centro Hospitalar do Médio Tejo e a Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância, onde o CHMT apresentou uma proposta com quatro pontos (sendo um dos quais o pagamento dos referidos 26 mil euros) que visa contribuir para a resolução das alegadas dificuldades». «Até ao momento aguarda-se uma reacção da direcção da Associação à proposta apresentada», garante o Centro Hospitalar, que volta a acusar a Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância pela «quebra abrupta e unilateral do contrato de transporte de doentes com o CHMT, privando-se assim das receitas do seu principal cliente, neste caso o Cento Hospitalar do Médio Tejo». Foto mediotejo.net