Cenário inverte-se: PSD e IpT acusam Anabela Freitas de «show off» na...

Cenário inverte-se: PSD e IpT acusam Anabela Freitas de «show off» na Canto Firme

Não caiu bem junto de PSD e Independentes o facto de Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, ter anunciado, recentemente, a cedência de um terreno à Associação «Canto Firme». Recorde-se que, por ocasião do recente aniversário daquele emblema nabantino, a autarca sublinhou o possível arranque do processo onde essa cedência será avaliada, sendo que está em causa o terreno onde está erguida a Sede Social, ou seja, na rua D. Lopo Dias de Sousa. Registo para as críticas de Pedro Marques, eleito dos Independentes, que recuperou uma recente expressão de Anabela Freitas para sublinhar que a presidente fez “show-off” na Canto Firme: «Atrevo-me a pegar nas suas palavras na Assembleia quando referiu que se estava a fazer “show off”… alguém ir à Canto Firme e prometer a cedência de um terreno que foi cedido em direito de superfície, isso é que é “show off”. Ninguém tem essa legitimidade. Quem estava na Canto Firme na altura é que sabe bem quem lhes deu a notícia de que a obra estava aprovada».
João Tenreiro alinhou pelo mesmo diapasão, ou seja, o vereador do PSD disse que Anabela Freitas «fez o seu próprio espeshowtáculo» na Canto Firme, acusando a coligação PS/CDU de «propaganda»: «A senhora presidente está a dar razão ao que o PSD tem afirmado, ou seja, isto é uma governação de propaganda. A senhora presidente aproveitou uma sala cheia para fazer o seu próprio espetáculo. Não sei se se auto-intitula como a governante soberana do concelho de Tomar… mas não o é! O “show-off” e a propaganda que a senhora disse que PSD e Independentes fizeram no regulamento da Festa dos Tabuleiros continua a ser um timbre seu».
Depois destas observações da oposição, Anabela Freitas quis esclarecer a sua posição e referiu que está apenas em causa o início de um processo: «As pessoas só ouvem aquilo que querem… as minhas palavras foram: estamos em condições de iniciar o processo e o processo foi iniciado no sentido de não colocar só a Canto Firme na proposta que vamos fazer mas também outras associações. Trazer propostas cabe-me a mim e depois são ou não aprovadas».