Augusto Barros «não quis criticar os benfiquistas» mas sim «quem se introduzir...

Augusto Barros «não quis criticar os benfiquistas» mas sim «quem se introduzir na festa do título para estragar bens públicos»

Augusto Barros, presidente da Junta Urbana, em entrevista concedida à Hertz, quis deixar claro que «não criticou os benfiquistas» quando falou em eventuais actos de «vandalismo» e de «selvajaria» que podem ocorrer neste domingo caso o Benfica se sagre campeão nacional de futebol. O autarc esclareceu que apenas está preocupado com os bens públicos e, por isso, pediu a intervenção da Polícia de Segurança Pública na rotunda Alves Redol, local escolhido pelos adeptos para os festejos em cada final de época futebolística. Recorde-se que esta estrutura foi alvo de melhoramentos durante os últimos dias, nomeadamente com a colocação de arranjos florais, pelo que Augusto Barros disse que não gostaria de ver algumas pessoas «a aproveitarem a festa do Benfica para estragar bens públicos»: «Não tenho nada contra os benfiquistas, muito pelo contrário, até disse que o Benfica ia ganhar neste fim-de-semana. E se ganhar, como é normal, haverá euforia e no meio dessa euforia haverá pessoas que se infiltram e que gostam de fazer barbaridades como estragar coisas. Para mim, seja do Porto, do Sporting, do Benfica, seja de quem for, o que importa é estimar e preservar o bem público. Há pessoas que esperam por estas alturas para prejudicar os outros. Não atingi os benfiquistas… Só disse que seria uma selvajaria quem saltasse para a rotunda e por isso pedi à presidente para haver uma prevenção. Se houver vinte, trinta, quarenta pessoas lá em cima, a rotunda fica num estado lastimoso. A verdade é essa. Não critiquei os benfiquistas mas sim as pessoas que aproveitam estas oportunidades para estragar bens públicos».