ALCANENA – Documentos de Prestação de Contas do Ano de 2019 aprovados...

ALCANENA – Documentos de Prestação de Contas do Ano de 2019 aprovados em reunião de Câmara

Foi aprovada, na Reunião de Câmara de Alcanena realizada a 1 de junho, a prestação de contas do ano de 2019. Num esclarecimento publicado na rede social Facebook, o Município refere que «os documentos aprovados na reunião do órgão executivo contemplam a situação económica da autarquia relativa ao exercício em análise, uma síntese da sua situação financeira, evolução das dívidas a curto, médio e longo prazo nos últimos anos, assim como a proposta fundamentada da aplicação do resultado líquido do exercício e os factos relevantes ocorridos após o termo do exercício. Pela análise dos documentos que integram o Relatório de Gestão de 2019, alguns dos principais resultados comprovam a relevância de uma gestão séria e responsável, nomeadamente:

– Dívida total no valor de 6.364.597,48€, tendo já sido amortizado mais de 70% de todo o passivo encontrado em 2009 (superior a mais de 20 milhões de euros);
– A dívida relativa a empréstimos de médio e longo prazo encontra-se nos 4,9 milhões de euros, considerando a utilização do empréstimo contratado para investimentos comparticipados por Fundos Comunitários, no valor de 1.569.403,41€, empréstimo que não conta para o Endividamento Municipal;
– No que respeita ao Endividamento Líquido Municipal, o Município continua a garantir que não ultrapassa os limites admissíveis, assim como o aumento das margens de cumprimento;
– Execução orçamental da receita de 86,64%, sendo 92,93% na receita corrente e 75,45% na receita de capital;
– Execução orçamental da despesa de 86,57%, sendo 90,16% na despesa corrente e 85,08% na despesa corrente e 88,09% na despesa de capital;
– O prazo médio de pagamento a fornecedores, no final de 2019, foi de 18 dias;
– Saldo de gerência no valor de 75.659,63€.

A análise às contas de 2019 evidencia o percurso de estabilidade económica e financeira levado a cabo pelo Município, assim como o contínuo aumento da capacidade de investimento, sendo de constatar uma situação financeira sustentável e equilibrada, permitindo ao Município dispor de instrumentos adequados para continuar a promover o desenvolvimento económico e social no concelho. Estes objetivos, atingidos com grande esforço e empenho de todos, devem ser valorizados e continuar a ser o grande desígnio de uma gestão autárquica responsável e rigorosa, como te existido desde finais de 2009», reforça o mesmo texto.