ACTUALIDADE – PSD acusa «esquerda» de «impedir alargamento do regime de aposentação...

ACTUALIDADE – PSD acusa «esquerda» de «impedir alargamento do regime de aposentação dos bombeiros»

A proposta de alteração ao Orçamento de Estado que previa o alargamento do regime de aposentação doas bombeiros sapadores e municipais aos bombeiros voluntários que integram os quadros das associações humanitárias foi chumbado na Assembleia da República. Esta iniciativa do PSD contou com os votos favoráveis do CDS, do PAN e dos deputados a Iniciativa Liberal e do Chega. Por seu lado, os eleitos do Partido Socialista mostraram posição contrária e o Partido Comunista e o Bloco de Esquerda optaram pela abstenção. Num comunicado enviado para a redacção da Hertz, o PSD refere que o chumbo desta proposta «surpreendeu os Deputados e as associações ligadas ao sector pois existiam sinais claros que a proposta do PSD poderia ser viabilizada pelo BE e PCP». O deputado Duarte Marques, eleito pelo distrito de Santarém, considera, no mesmo texto, o resultado como “absurdo tendo em conta as posições públicas destes partidos” e “uma oportunidade desperdiçada para fazer justiça aos bombeiros das associações de voluntários”. Não querendo usar o termo “traição”, Duarte Marques considera este resultado uma “deslealdade perante aqueles que tantos nos protegem” e a única explicação para este desfecho só “pode ter sido a enorme pressão do Governo e do PS sobre o Bloco e o PCP.” No debate em plenário que antecedeu a votação, o Deputado Duarte Marques afirmou tratar-se um “elementar princípio de justiça, tratar igual o que é igual”. A proposta que o PSD levou a debate tinha como objetivo “alargar o regime de aposentação dos bombeiros sapadores e municipais aos bombeiros que também são profissionais a tempo inteiro das corporações e associações humanitárias que tenham pelo menos 30 anos de serviço efetivo”. Duarte Marques recordou que “Não faz sentido que os bombeiros que exerçam a sua atividade em corpos de sapadores tenham um regime de aposentação que lhes reconhece o desgaste e esforço de anos e os bombeiros profissionais que desempenham exatamente as mesmas atividades essas funções em associações humanitárias, que até são mais mal pagos, não tenham esse mesmo direito.” O Deputado do PSD apelou a que este não seja “um tema de querela política e de fratura do Parlamento. Em alguma fase da nossa vida democrática todos os partidos foram unanimes no reconhecimento desta atividade. Essa por isso que apelo à aprovação desta medida com a mesma unanimidade deste Parlamento. Essa não seria uma vitória desta ou de qualquer outra bancada, mas seria sim um enorme sinal de reconhecimento e de homenagem aos bombeiros, a estes homens e mulheres que tanto fazem pela nossa segurança e socorro.”