ACTUALIDADE – Câmara de Ferreira do Zêzere é exemplo em Portugal no...

ACTUALIDADE – Câmara de Ferreira do Zêzere é exemplo em Portugal no pagamento a fornecedores… e Município de Tomar dentro das maiores reduções de passivo em 2018

Os dados dizem respeito ao Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses e são relativos ao ano de 2018. Está em causa, refira-se, uma avaliação a 308 concelhos. E no que ao distrito de Santarém diz respeito há dados importantes a reter: desde logo o facto de a Câmara de Ferreira do Zêzere ser aquela que, à escala nacional, demora menos tempo a pagar aos fornecedores. Melhor era impossível: a autarquia ferreirense paga a pronto! Ainda neste ranking, registo para as presenças da Chamusca, em nono lugar, com prazo médio de pagamento cifrado… num dia; Abrantes é 38º com um prazo de cinco dias. Em ordem inversa, Alpiarça é o sétimo município que mais demora a pagar (264 dias); Golegã aparece nesta indesejável classificação no 15º lugar (165), assim como Tomar, que é 18º (153 dias para pagar, o que representa, ainda assim, uma diminuição face aos 193 dias de 2017). A nossa redacção já obteve uma reacção de Jacinto Lopes, presidente da Câmara de Ferreira do Zêzere, que considerou estes números como o resultado «do trabalho desenvolvido por uma grande equipa»:

Noutro parâmetro desta avaliação, registo para Tomar, neste caso pela positiva, pois conseguiu diminuir o passivo em cerca de três milhões e quatrocentos mil euros, registo que a coloca no “top-50” dos melhores, só atrás, à escala distrital, de Santarém, que ficou em 12º, com uma diminuição na ordem dos seis milhões e quinhentos mil. Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, já reagiu a este ranking, classificando-o como um reconhecimento das políticas seguidas, assegurando que a diminuição do passivo não tem sido feita à custa dos investimentos e de apoios… e sem recorrer a assistência financeira:

A autarca abordou, ainda, ao facto de Tomar estar no lote dos Municípios que demoram mais tempo a pagar aos fornecedores, justificando a classificação com uma factura que está contabilizada desde há vários anos – relativa ao pavilhão municipal – e que segue, nesta fase, em via judicial. Anabela Freitas refere que não fosse esta situação e o prazo médio de pagamentos iria descer para cerca de sessenta dias:

Nota, ainda, para outros números, tal como a lista dos Municípios com menor passivo, sendo de destacar o concelho da Chamusca em 24º, com cerca de um milhão e quatrocentos mil, ou Constância, que está na posição 48, com dois milhões e cem mil euros. No pólo oposto, Cartaxo é o 11º Município com maior passivo, num total a rondar os 53 milhões. Pela positiva, registo para Ourém, que está no trigésimo posto nas autarquias com maior equilíbrio orçamental.